quinta-feira, agosto 28, 2008

Novíssimo Layout

Só tô postando pra avisar do novíssimo layout retrô do blog... ficou muito bom (eu acho!) e de novo os méritos vão todos pro Thiago, que já tinha feito o layout antigo. Entrem no blog dele: O que o Dr. House Diria?

Agora vou postar mais nessa joça e finalmente honrar o textinho aí do lado, aquele que fala de futilidades e tal...

segunda-feira, agosto 25, 2008

Turma da Mônica Jovem (Em estilo mangá) 1



Quando a gente pensa que tudo que é porcaria já foi lançado, eis que o Mauricio de Souza (em quem sempre confiei, alias) vem com essa...

Confesso que nunca vi o projeto com bons olhos, mas tentei não analisar como fã e julgar direito (e quase não consegui).

Turma da Mônica Jovem tem por objetivo atualizar a turminha para os dias de hoje, usando como base, o mangá. Uma pergunta cabível é: Quem afinal quer a turminha atualizada? Eu não... acho que ninguém, mas vá lá, é uma iniciativa válida. O problema é a execução. A arte é muito falha, parece que os (ótimos) desenhistas do Estúdio Maurício de Souza se perderam legal tentando desenhar uma técnica que não conhecem. Outro ponto falho é o próprio roteiro, uma miscelânea dos clichês mais insuportáveis dos mangás. Essa história de buscar artefatos perdidos em outros mundos é mais velha que andar pra trás... um exemplo: Inuyasha. Pior que isso é só o vilão (no caso vilã) preso no passado que agora é libertado... Toriyama fez isso bem melhor em Dragonball há duas décadas. Os artefatos místicos, os país que escondem segredos, os filhos que assumem o legado... TODO MUNDO já fez uso disso. Realmente nada original.

O ponto forte ficaria para a curiosidade de ver como a turminha ficou mais velha. Ficaria... nem aí conseguiram acertar direito. Os traços novos são legais, mais é gasto tempo demais explicando as diferenças que surgiram com o passar do tempo... não precisava, isso o leitor apreenderia com o decorrer da leitura. O tom didático também incomoda, como a explicação do que é dislalia. Outro tropeço é a mudança de alguns personagens... Anjinho como Céuboy (uma "brincadeira" com o Hellboy) é ridículo. O Capitão Feio é até engraçado como Poeira Negra, mas era bem melhor antes.

Claro que a edição tem alguns acertos, na verdade me lembro de três. O fato do Cebolinha (agora chamado de Cebola) só falar errado quando está nervoso é uma boa sacada. Algumas piadas são boas, como a que a Magali relembra quando eles tinham sete anos e a Mônica diz: "Parecia que a gente fazia sete anos todo ano!". Mas o maior acerto mesmo, é fora da edição em si, no expediente, onde pela primeira vez constam o créditos dos artistas que fizeram a edição. Isso é um belo avanço e quem sabe um dia não reflita nas história normais (e boas) da turminha.

Num balanço geral, parece que só usaram o que tem de ruim nos mangás, como os clichês e as malditas lições de moral... sem falar que o preço dessa edição é salgado (5,90)... mais caro que as edições normais, que alias são coloridas...

Resumindo: Fujam! (Ou comprem por masoquismo...)

Cotação: