terça-feira, setembro 23, 2008

Recado

À quem um dia negou
descaradamente algo verdadeiro,

E em um lapso forjado de memória
acreditou na mentira dita,

E guarda escondido no extremo da mente
um germem daquilo que ocultou,

Que, renascido, pode arruinar
a tola felicidade construída.


* Fazia um tempo que não postava poemas aqui, escrevi esse semana passada, e não trata de ninguém em específico e mais da vida como um todo.

domingo, setembro 14, 2008

Sete Coisas - Respondendo ao Vini

O meu colega Pataca Vinicio dos Santos colocou isso no blog dele e pediu pra eu respoder, então aí vai:



1) Sete coisas que eu faço bem

- piadas
- constranger as pessoas
- poesia
- jogar jogos de plataforma
- dormir
- matar aula
- dar conselhos que parecem bons

2) Sete coisas que eu não faço e não sei fazer

- ir na balada
- me comportar socialmente
- não ser xucro
- jogar jogos de estratégia (tipo Age of Empires)
- jogar futebol
- fazer média
- tomar café da manhã

3) Sete coisas que me atraem no sexo oposto

- beleza
- saber manter uma conversa
- inteligência
- não se assustar comigo quando me conhecer
- senso de humor
- os olhos (mais o formato que a cor)
- a voz

4) Sete coisas que me irritam no sexo oposto

- burrice
- grude
- planos exagerados
- falta de senso de humor
- ciúmes exagerados
- franja
- não conhecer Marty MacFly (isso me irrita em qualquer um!)

5) Sete coisas que eu digo com frequência

- cuzão
- tô puto
- Como diria o Sokka, eu sou o homem da carne e do Sarcasmo, isso é tudo que eu tenho.
- São Paulo não é time de futebol!
- alguma coisa de #$ é $%*#
- cada um tem o (insira uma palavra aqui) que merece
- eu vou matar (insira um nome aqui [o Thiago e o Capa dizem que eu vou precisar do Pacaembú pra por todo mundo que eu quero matar])

6) sete atores/atrizes que eu gosto

- Clint Eastwood
- Sean Conery
- John Wayne
- Marlon Brando
- Gene Kelly
- Jerry Seinfeld (menos em Bee-Movie que é uma bosta)
- Woody Alen

acabei de ver que não tem nenhuma atriz na lista, então lá vai umas que eu adoro: Vivian Leigth "eu sempre contei com a bondade de estranhos"; Gloria Swanson; Marilyn Monroe (três tá bom né?)

7) sete atores/atrizes que eu odeio

- Ronald McDonald (vale?)
- qualquer um da Malhação
- Mariana Ximenes
- Priscila Fantin
- Amanda Peet
- Molequinho do Shane (Os Brutos Também Amam)
- Já falei aqui da Malhação?

8) sete filmes que eu gosto

- Cantando na Chuva
- Rastros de Ódio
- Os Imperdoáveis
- Ratatouille
- Quanto Mais Quente Melhor
- Trilogia Clássica do Star-Wars
- Uma Rua Chamada Pecado

9) sete filmes que eu odiei

- Elektra
- Titanic
- Final Fantasy
- Homem-Aranha 3
- Durval Discos
- Van Helsing
- As Panteras

10) Sete livros favoritos

- Hamlet, William Shakespeare
- Lolita, Vladmir Nabokov
- Dom Casmurro, Machado de Assis
- Canto Geral, Guimarães Rosa
- A Vida, o Universo e Tudo o Mais, Douglas Adams
- Rei Lear, William Shakespeare
- Fogo Pálido, Vladmir Nabokov

11) Sete coisas legais dos últimos sete dias

- meu irmãzinho Antônio (ainda em gestação) continua bem
- as gravações do Quatro Patacas para um evento da faculdade
- ter matado várias (bem mais que o Vini) aulas
- Minha caneca nova do Timão
- Assistir O Cheiro do Ralo
- Escutar Abbey Road (fazia um tempão que eu não ouvia)
- baixar vários jogos do Nintendinho pro computador

12) Sete constatações inúteis

- Avatar é o melhor desenho de todos os tempos
- é impossível achar Beast Wars dublado na internet (se alguém achar deixa o link nos comentários ou me manda um e-mail)
- Bob Dylan, U2 e Bruce Springsteen são os únicos caras que continuam fazendo discos fodas até hoje.
- eu mataria pra ter um Wii
- todas as verdades do mundo estão nas letras do Ultrage a Rigor (Roger é "O" profeta)
- Eu conheço um gorila albino
- George Lucas podia mesmo parar de mexer nos filmes da trilogia clássica

13) sete pessoas para responder ao questionário

Não vou responder essa, porque parece corrente de e-mail...

domingo, setembro 07, 2008

Hellboy II: O Exército Dourado



O primeiro Hellboy, também dirigido por del Toro, me deixou uma boa impressão quando vi. Um filme divertido, descompromissado e sobre um ótimo personagem de quadrinhos desconhecido do grande público. Mas senti falta de alguma coisa, a história apesar de boa, não empolgava e o filme que poderia ser ótimo, era apenas bom.

Nesta seqüência, sem a necessidade de introduzir personagens, a ação fica mais solta e o roteiro flui melhor, mas novamente acontece o mesmo problema e um filme que poderia ser ótimo é apenas bom. Acredito que a grande falha resida no roteiro que vai crescendo de intensidade durante todo o filme, mas cai no clichê no final, deixando uma sensação de algo inacabado no espectador.

Claro que o filme tem ótimas qualidades, começando pelos atores, o ótimo Ron Perlman faz um Hellboy ainda mais interessante que no primeiro filme e as tiradas sarcásticas constantes da personagem são ótimas e funcionam sempre. Selma Blair constroi uma Liz adoravel, o que me surpreendeu, já que sempre achei ela meio sem graça na maioria dos papéis em que atua. Doug Jones está novamente impagável como Abe e a personagem tem mais destaque nesse filme, e ainda temos a ótima inclusão de Johann Krauss, um ser de energia, ótimamente dublado por Seth MacFarlane, e que rende uma ótima cena de luta com Hellboy.

A melhor parte do filme é sem dúvida a visual, a direção de arte e os esfeitos especiais, aliados a imaginação sem limites de Guillhemo del Toro, rendem cenas primorosas e um universo fantástico que tem seu auge em duas cenas, a do mercado Troll, cheia de criaturas diferentes, que cria uma impressão semelhante àquela criada pela cena da cantina de Mos Eislei em Star Wars - Episódio IV. E a cena da batalha contra o elemental, que onde derrama seu "sangue", nasce grama, compondo toda uma paisagem nova e impressionante.

A reação improvavel entre Hellboy e Liz é muito bem explorada, assim como a paixão de Abe pela princesa Nuala, um ser que como ele pode sentir com o uso das mãos o que rende algumas cenas muito bonitas. O vilão do filme, o principe Nuada, lembra muito os vilões da serie de RPG Final Fantasy, com seu visual etéreo e sobrenatural e, infelizmente, nunca chega a ser realmente assustador.

Hellboy é uma bela diversão, porém não dá pra deixar de sair com uma leve decepção do cinema, por saber que del Toro poderia ter ido mais a fundo e feito um filme mais envolvente.

Cotação: